Terra Querida
Unicef
Erro fatal

Análise: Fortaleza tem erro fatal contra time copeiro

Tricolor abriu os dois gols que precisava para se classificar, mas sofre gol nos acréscimos, sendo eliminado da competição; torcida leonina fez grande festa e reconheceu o empenho da equipe contra o copeiro time argentino

Esporte

Esportenoticias e informações do esporte

28/02/2020 07h11Atualizado há 4 semanas
Por: Leonardo Soares
Fonte: Diário do Nordeste
53

A festa no Castelão foi grandiosa, a atuação do Fortaleza perto disso, com a equipe próxima de fazer história e garantir uma classificação para 2ª Fase da Copa Sul-Americana, mas o imponderável do futebol, somado com a mística do adversário, o maior campeão da América, fez o sonho leonino ruir.
Com requintes de crueldade, daqueles que todas as torcidas já vivenciaram um dia no futebol, o Leão sofreu um gol do Independiente aos 47 do 2º tempo e foi eliminado na competição. Assim, a vitória por 2 a 1 eliminou o Leão e classificou o Rojo pelo critério dos gols marcados fora de casa, já que em Avellaneda, na ida, o time argentino venceu por 1 a 0.

O cenário após a partida era de desilusão por parte da torcida leonina que lotou o Castelão, mas também de reconhecimento, pelas duas partidas que o Fortaleza fez diante do maior campeão da América, um time em crise, mas com uma mística do tamanho do continente Sul-Americano. Só a história do Independiente explicaria um time em frangalhos, com pouca qualidade ofensiva, marcar um gol no apagar das luzes e renascer na temporada, que é decepcionante para o seu tamanho. Para o Fortaleza, resta não se abater e trabalhar para voltar ao torneio Sul-Americano: certamente o torcedor leonino não esquecerá todo ambiente vivido em Avellaneda e ontem no Castelão.

Como no jogo de ida, o técnico Rogério Ceni manteve a estratégia de atuar com um time extremamente rápido, sem centroavante - com mais uma vez Wellington Paulista no banco - e a estratégia mostrou-se novamente acertava, pela característica do time argentino, forte na jogada aérea defensiva, mas lento no combate pelo chão. Assim, o Tricolor de Aço deixou o início de jogo extremamente desconfortável para o time visitante. 

O Independiente cedia muitos espaços até a intermediária, se fechando na última linha de defesa, com 5 jogadores. Assim, o Leão do Pici tinha muita tranquilidade para trabalhar a bola até o último terço do campo. 
Ao Tricolor, era controlar os nervos, ter paciência e buscar espaços para a melhor jogada. E o time de Ceni teve tudo isso, controlando o jogo, com a posse da bola, já que o Independiente não tinha a pretensão de tê-la, a deixando com o time da casa e buscando sair apenas na boa, em contra-ataques. Mas quando tinha a bola e tentava sair, o Rojo errava logo o passe, com a bola voltando ao tricolor.
E assim, com tanto domínio territorial, era questão de tempo que o Fortaleza saísse na frente. Foi quando aos 23 minutos, Romarinho tocou para Osvaldo, que recebeu passe na pequena área e foi derrubado por Bustos: na cobrança, Juninho teve sangue frio e como bom cobrador que é, acertou o canto de Campaña para abrir o placar para o Leão. 
Em 28 minutos, o Fortaleza igualava o confronto - o placar levava a decisão para os pênaltis - e tinha um pouco mais de uma hora de jogo para buscar o segundo gol e garantir a classificação.

O Tricolor de Aço continuou em cima do time argentino, que passou a sair um pouco mais ao ataque, adiantando suas linhas, mas faltava velocidade e melhor definição das jogadas por parte de seus jogadores. Em uma das raras chances do Rojo, Fernández bateu de longe e Felipe Alves defendeu.
Dominante, o Leão terminou o 1º tempo com 73% de posse de bola. De alerta, apenas 3 finalizações certas do Tricolor de Aço, contra duas do Rojo, com o time argentino praticamente igualando as chances claras mesmo com muito menos posse.

Esperança
O Leão começou o 2ºtempo em cima, com extrema velocidade, principalmente com Osvaldo, um terror para a lenta defesa do Rojo. 
Em um lance que ilustra bem a grande partida de Osvaldo é a arrancada dele em contra-ataque, passando pela defesa e cruzando para o defesa tirar, aos 3 minutos. Bustos e Alan Franco sofreram com os dribles do atacante leonino.
Após duas grandes jogadas de Osvaldo, o Independiente chegou à frente, assustando em três finalizações, com Felipe Alves defendendo todas de forma segura. Era o time argentino de abriu mais, buscando também atacar, afinal, não era negócio ficar só se defendendo contra um inflamado Fortaleza.]

Com mais espaços para atacar, o Tricolor de Aço desperdiçou boas chances de ampliar, a melhor com David. 
E 30 minutos do 2º tempo, um período crítico, o jogo ficou aberto, até pelo cansaço dos jogadores. Foi quando brilhou a estrela do técnico Rogério Ceni: como um treinador que tem controle total de seu elenco, pôs o meia Marlon no lugar de um lesionado Romarinho, aos 32 minutos. E no primeiro toque na bola de Marlon, o meia marcou o segundo do Leão, para delírio do torcedor que lotou o Castelão para uma noite histórica: 2 a 0.

Com o gol, a vaga era do Leão, que bastava segurar por 10 minutos para comemorar. Mas como um gol do Independiente àquela altura classificaria o time argentino pelo critério do gol marcado fora de casa, o jogo ganhou em tensão, no campo e nas arquibancadas. O Rojo foi para o tudo ou nada com as mudanças de Pusineri, com Domínguez perdendo chance clara de marcar. E com 6 minutos de acréscimos, o jogo ganhou em nervosismo e aos 47 minutos veio o lance fatal: Bustos mandou para a área, e a bola ainda desviou em Bruno Melo antes de entrar: 1 a 2. Foi o gol da eliminação leonina.

Ficha Técnica
Copa Sul-Americana - 1ªFase
Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
27 de fevereiro

Fortaleza 2
Felipe Alves, Gabriel Dias, Bruno Melo, Paulão, Jackson, Juninho, David, Felipe, Mariano Vázquez (Tinga),
Osvaldo (W.Paulista), Romarinho (Marlon). Técnico: Rogério Ceni

Independiente 1
Campaña, Bustos, Gastón Silva, Alan Franco, Barboza, Lucas Romero, Braian Romero (Velasco), Domingo Blanco (Roa), Gastón Togni (Domínguez), Silvio Romero, Fernández. Técnico: Lucas Pusineri

Árbitro: Roberto Tobar. Gols: Juninho e Marlon (FOR) e Bustos (IND). Cartões Amarelos: Wellington Paulista, Gabriel Dias e Felipe (FOR). Lucas Romero (IND). Renda: R$ 1.330.879,00; Público: 52.552 pagantes

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.