Unicef
Terra Querida
Portões fechados

Acostumado com jogos sem torcida, Jesualdo aposta em “espírito de Libertadores” no Santos

Jesualdo viveu mais de uma experiência em jogos com portões fechados

Esporte

Esportenoticias e informações do esporte

09/03/2020 08h01Atualizado há 3 semanas
Por: Leonardo Soares
Fonte: Gazeta Esportiva
77

O Santos não contará com a sua torcida na partida contra o Delfín (EQU) na próxima terça-feira, na Vila Belmiro, pela segunda rodada da Libertadores da América. A Conmebol puniu o Peixe com portões fechados por conta da confusão no Pacaembu em 2018, na eliminação da competição continental para o Independiente (ARG).

E essa experiência não é nova para Jesualdo Ferreira. O técnico português comandou o Panathinaikos dessa forma em duas oportunidades, entre 2010 e 2012, e foi campeão pelo Zamalek, do Egito, com uma temporada inteira sem apoio do torcedor em 2015. Por razões políticas, não havia gente no estádio.

A aposta de Jesualdo é o elenco santista superar o silêncio da Vila Belmiro com o “espírito de Libertadores”.

“Jogo de Libertadores tem componente emocional alto, jogo que envolve muita história. É emocionante. Santos é tricampeão e, portanto, esse peso vai nortear a ansiedade para entrar em áreas psicológicas. Não precisa motivar, é encontrar plano tático”, disse Jesualdo.

O Santos venceu o Defensa y Justicia, na Argentina, e pode ficar perto da classificação às oitavas de final se vencer o Delfin. A bola rolará às 19h15 (de Brasília).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.