Quinta, 06 de Maio de 2021
Piauí Notícia Boa

Aluna com deficiência visual campeã de redação no ENEM vai cursar direito

Aluna com deficiência visual campeã de redação no ENEM vai cursar direito

09/04/2021 07h52
49
Por: Redação Fonte: redação Só Notícia Boa
Aluna com deficiência visual campeã de redação no ENEM vai cursar direito

Maria Gabriella Silva Santos, de 18 anos, uma aluna com deficiência visual do Piauí comemorou a nota 940 – de 1000 – na prova mais disputada do ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio.

Foi uma das melhores notas de todo o país e agora Maria Gabriella vai ela vai realizar o sonho de estudar Direito na Universidade Federal.

“Como moro na zona rural e um pouco distante da escola, eu tive que fazer meu próprio cronograma, mas tenho como base os estudos da escola e tudo que aprendi lá”, disse ela num comunicado divulgado pelo governo do Piauí na semana passada.

A estudante é do povoado Baixio, no município de Pimenteiras – a 252 km de Teresina. Ela nasceu com glaucoma congênito, chegou a ver vultos na infância, mas depois perdeu completamente a visão.

Estudo na pandemia

Maria Gabriella atribui sua nota alta na redação ao plano de estudo individual que desenvolveu durante a pandemia, que impôs ensino remoto a estudantes em várias partes do mundo.

A jovem, que concluiu o ensino médio em 2019, percorria cerca de seis quilômetros para chegar à escola estadual CEEP Antônio Gentil Dantas Sobrinho, anexo Tapera.

Um de seus professores, Adonias Pedrosa, descreveu Maria Gabriella como uma “aluna dedicada e muito curiosa”, que “sonha muito alto” e era conhecida por tirar boas notas.

A mãe da estudante, Joana Darc dos Santos Silva, foi a primeira professora da filha. Ela é formada na área de educação e se especializou em Educação Especial.

“Devido às dificuldades que passei quando ela começou a estudar, eu tive que me capacitar e hoje sou formada em Pedagogia e tenho especialização em Educação Especial e ajudo outras pessoas”, explica.

Construção da sala de aula

E entre as dificuldades estava a escola local que não tinha estrutura para alunos especiais. Isso fez com que a família lutasse na justiça para construir o espaço.

Com a demora de implantar a sala na escola, a mãe chegou a acionar o Ministério Público Estadual. Sem resposta imediata, em 2012, Joana Darc fez uma proposta para o colégio de construir a sala de recurso.

O pai e o avô de Maria Gabriella iriam construir o local e a escola daria o material de construção. E assim foi feito. Hoje a sala beneficia todo o povoado.

Coringa e O Alienista

O longa-metragem que narra as origens do vilão dos filmes de ‘Batman’, o Coringa, com reflexões psicológicas e sociais foi uma ponte que a estudante piauiense trouxe à tona para debater sobre o preconceito as pessoas com problemas mentais.

Maria Gabriella assistiu ao filme na internet com ferramenta de áudio tradução, e teve que contextualizá-lo na redação do Enem. Isso ajudou a tirar 940 pontos na prova mais disputada do País.

Com dificuldade de acessibilidade e poucos livros em braile, ela se prepara para ingressar numa universidade usando a internet. Sua história é de resistência e luta.

Ao escrever a redação, Maria Gabriella, contou que resgatou também a saga de Dr. Simão Bacamarte no conto “O Alienista”, de Machado de Assis, que tratou sobre a loucura.

“Eu usei o livro O Alienista para ressaltar os estereótipos as pessoas com doenças mentais que vêm desde o passado até o presente. E o filme Coringa para mostrar essa cultura enraizada de preconceito que perdura até hoje”.

Por Andréa Fassina, da redação do Só Notícia Boa – Com informações da Cidade Verde Piauí e Extra

Ele1 - Criar site de notícias