Quinta, 02 de Dezembro de 2021
Cultura Bahia

Festival de Jazz do Capão acontece de 12 a 14 de novembro com apoio financeiro do Governo do Estado

O Festival de Jazz do Capão (FJC) chega em sua 9ª edição com um grande desafio que é o de fazer um evento que tem em seu nome e ambiência o Vale do Capão, localizado na Chapada Diamantina na Bahia, no formato online e sem público presente.

15/10/2021 às 13h24 Atualizada em 15/10/2021 às 13h54
Por: Redação Fonte: Secom Bahia - (Milena Leal)
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Festival de Jazz do Capão (FJC) chega em sua 9ª edição com um grande desafio que é o de fazer um evento que tem em seu nome e ambiência o Vale do Capão, localizado na Chapada Diamantina na Bahia, no formato online e sem público presente. O festival será transmitido de 12 a 14 de novembro (sexta a domingo), às 20h, no canal do FJC no YouTube. Para manter este ambiente de natureza que junto com a música é a essência do Festival, a maioria dos shows foram gravados no distrito de Caeté-Açu (Vale do Capão), localizado no município de Palmeiras, a 440 quilômetros de Salvador. Pela quinta vez, desde 2015, o projeto conta com apoio financeiro do Governo do Estado. O recurso é viabilizado através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia. O evento tem ainda o patrocínio cultural da Paulo Coelho and Christina Oiticica Foundation. A realização é da Cambuí Produções.

Em sua 9ª edição o festival que é gratuito, traz na programação grandes nomes da música local, nacional e internacional. A programação deste ano apresenta a Mostra Capão com Isa Cardona, Luciano Menderete, Leonardo Frodo e Ça??l Çokan Quarteto (Bahia); a Mostra UFBA com Angella Velloso Quarteto (Bahia); Ivan Sacerdote & Felipe Guedes (Bahia); Marcelo Galter e Grupo (Bahia); Salomão Soares & Vanessa Moreno convidam Guegué Medeiros (São Paulo); e Quartinas que tem em sua composição Léa Freire, Tatiana Parra, Tarita de Souza e Thaís Nicodemo (São Paulo). Nesta edição o FJC terá como atrações internacionais o venezuelano radicado em Los Angeles, Otmaro Ruiz; e Wanja Slavin Lotus Eaters, da Alemanha. Além de uma série de “participações afetivas” e surpresas emocionantes.

O Festival

Realizado pela Cambuí Produções, o Festival foi idealizado pelo músico e diretor artístico Rowney Scott e tem, em sua trajetória, oito edições realizadas. Em 2010 e 2011, o Festival contou com o patrocínio do então Ministério da Cultura. Após um ano sem patrocínio, o Festival retornou em 2013, 2014 e 2015, patrocinado pelo Programa Petrobrás Cultural. Em 2016 o festival não foi realizado, pois não obteve patrocínio. Desde 2017, o Festival de Jazz do Capão é um Evento Calendarizado, com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, com complementação através da Lei Rouanet. Na edição de 2021 o evento é financiado pela Secretaria de Cultura da Bahia e pela Paulo Coelho and Christina Oiticica Foundation.

Em suas oito edições, o FJC levou para o seu palco artistas como Egberto Gismonti, Ivan Lins, Naná Vasconcelos, João Bosco, Hermeto Pascoal, Toninho Horta, Orkestra Rumpilezz, Dori Caymmi, Raul de Souza, Joyce Moreno, Debora Gurgel, César Camargo Mariano, Michaella Harrison (EUA), Gabriel Grossi, Kapelle 17 (Alemanha), além de artistas de Salvador e do Vale do Capão. Além da música, o FJC também promove workshops e campanha de conscientização ambiental.

Sobre a edição de 2021 no formato online, o idealizador e diretor artístico do FJC, Rowney Scott revela que “realizar o festival de maneira virtual e sem público nunca foi uma possibilidade para nós da equipe. A essência do FJC é a materialidade da natureza, humana e não humana. O contato com as pessoas, com os atrativos naturais e culturais do Vale do Capão, sua comunidade e suas riquezas, a presença dos artistas e a troca com o público, seja nos workshops, seja nos shows. Essa imensurável experiência sensorial sempre foi a coisa mais importante para todes que vivenciam o festival”.

No entanto, ao se deparar com a necessidade de transportar e reconstruir a expertise de uma realização presencial, amalgamada em oito anos de edições realizadas – e bem sucedidas – foi necessário repensar e remodelar o FJC 2021 para que o público não ficasse mais um ano saudoso dessa experiência estética musical, já que o Festival não foi realizado em 2020 por causa da pandemia.

“O formato de ‘produto’ audiovisual era – e de certa maneira ainda é – um terreno desconhecido para nós. Precisávamos de gente competente, sensível e disposta a viajar conosco nessa nova aventura, nos guiando por esse universo misterioso. A ideia de convidar Sofia Federico & Kico Póvoas e sua equipe, me veio quase que de imediato, pela percepção de um trabalho muito competente que eles realizam há anos na Jam no MAM, projeto essencial de música na cidade de Salvador, ligado, assim como o FJC, ao universo da improvisação e do Jazz. Eles toparam o convite de imediato e desde então vimos construindo juntos essa aventura fantástica de desconstrução e reinvenção. E tem dado muito certo. O FJC, na sua edição 2021, renasce com alma virtual mas com o mesmo espírito de humanidade, de sensibilidade e de harmonia com a natureza e com a diversidade das pessoas e dos sons”, destaca Scott.

O evento foi gravado em um espaço artístico-espiritual, dentro do Sítio Ad Libitum, sem a presença de público mas acalentado pela natureza exuberante do Vale do Capão e o trabalho de artistas, técnicos e produtores incríveis, que se dedicaram por inteiro à missão de levar para o mundo, o que é o Capão e o que é o FJC.

Atrações locais

Marcelo Galter e Grupo

Marcelo Galter e Grupo apresentam repertório do seu primeiro disco, ”Bacia do Cobre”, lançado em setembro de 2021 pela gravadora Rocinante. Formado por Marcelo Galter no piano acústico e Rhodes, Ldson Galter no contrabaixo, Luizinho do Jeje e Reinaldo Boaventura na percussão, o grupo arrisca novas texturas sonoras para além do esperado clássico piano + contrabaixo + bateria.

A maioria das músicas foi composta especialmente para essa formação, e explora a interação entre os músicos sobre estruturas rítmicas inspiradas em contextos musicais onde a improvisação tem um papel marcante.

Ivan Sacerdote & Felipe Guedes

Seguindo uma tradição camerística já consagrada na música popular brasileira, as melodias, harmonias e ritmos do clarinete e violão de Ivan Sacerdote e Felipe Guedes, nos propõe um diálogo franco, sincopado e, acima de tudo, conectado às nossas mais profundas raízes culturais.

Sobre os instrumentistas, assim disse o grande Caetano Veloso – “Pós-jazz, pós-bossa, pós-axé, Ivan revela-se a cada toque, a cada contraponto, a cada intervenção, um Sacerdote da elegância na música. ” Sobre Guedes ele disse – “Felipe Guedes, o jovem gênio soteropolitano que o Brasil precisa conhecer e destacar.”
Os músicos são figuras atuantes na cena musical soteropolitana e prometem apresentar o resultado dessas vivências. Choro, Bossa, Baião, Samba-Reggae, Ijexá e Samba-Chula são alguns dos inúmeros estilos musicais que podemos encontrar no Brasil. Partindo dessa diversidade, os instrumentistas terão como plano de fundo o Jazz, a canção brasileira e o universo das rodas de choro para explorar os caminhos da improvisação.

Mostra Capão – Isa Cardona, Luciano Menderete, Leonardo Frodo e Ça??l Çokan Quarteto

A Mostra Capão é uma janela dentro da programação do Festival de Jazz do Capão, aberta para que expressões musicais do vale tenham uma maior visibilidade, independentemente dos seus gêneros e estilos musicais.
O grupo é formado por artistas moradores do Capão, na sua maioria estrangeiros, que trazem para o trabalho influências de suas bagagens culturais, advindas da Colômbia, Turquia, Argentina, Cuba e Brasil, através de composições e arranjos originais. O quarteto, formado especialmente para o FJC, utiliza bastante as vozes como base do seu conceito sonoro, apresentando a essência da música criada e produzida no Capão: uma música livre e criativa, que exalta a harmonia entre os seres e a integração com a natureza.

Mostra UFBA – Angela Velloso Quarteto

O Festival de Jazz do Capão, em parceria com a Escola de Música da Universidade Federal da Bahia (UFBA), promove um edital interno aberto para todos os estudantes de graduação e pós graduação com o objetivo de selecionar um trabalho artístico para a Mostra UFBA, que é um espaço dedicado a estudantes de música dentro da programação do festival. A parceria institucional acontece desde 2018. Nesta edição a atração selecionada neste edital foi Angela Velloso Quarteto, com Tarcísio Santos (Guitarra), Giroux Wanziler (Baixo), Victor Brasil (Bateria) e Angela Velloso (voz), o grupo foi formado com o intuito de fazer parte do Festival de Jazz do Capão.

Angela Velloso canta desde que se entende por gente e sempre conviveu com música por consequência da rotina de seu pai Duarte Velloso. Estuda composição e canto na UFBA desde 2016, onde passou em 1° lugar. Lançou seu primeiro álbum autoral Reisen em 2019, mesmo ano que realizou intercâmbio de um ano em Jazz e Música Popular na Hochschule für Musik und Darstellende Kunst Mannheim (Alemanha). O quarteto traz em seu repertório composições das diversas fases da carreira dessa jovem intérprete e improvisadora baiana.

Atrações nacionais

Quartinas – Léa Freire, Tatiana Parra, Tarita de Souza e Thaís Nicodemo

O quarteto nasce do encontro entre musicistas paulistas que possuem trajetórias múltiplas: são compositoras, arranjadoras, instrumentistas e intérpretes, que possuem um olhar integrado sobre o fazer musical. A partir de um viés autoral, costurado por grandes afinidades, cada uma traz suas particularidades para somar numa trama de melodias, harmonias, timbres e ritmos.

A compositora e instrumentista Léa Freire traz a riqueza de suas músicas, com sonoridades orquestrais e muito brasileiras, com os coloridos do piano e da flauta; a cantora e compositora Tarita de Souza traz a criatividade de suas composições através do viés da canção, do uso da voz como instrumento e da interação entre a música e outros campos das artes; Thaís Nicodemo mostra seu lado compositora, com músicas que passeiam entre os universos da canção e da música instrumental, ao piano; Tatiana Parra mostra sua versatilidade, usando a voz com uma variedade de possibilidades sonoras, além de tocar piano e compor.

Salomão Soares & Vanessa Moreno convidam Guegué Medeiros

Salomão é vencedor do Prêmio MIMO Instrumental 2017, finalista do Piano Competition no Festival de Montreux 2017 – Suíça e vencedor do Prêmio Novos Talentos do Festival Savassi 2018. Com 31 anos, Salomão Soares vem se destacando como uma das grandes revelações da nova geração de pianistas brasileiros. Nascido e criado em Cruz do Espírito Santo, interior da Paraíba, e atualmente morando em São Paulo, Salomão é pianista, arranjador e compositor.

Vanessa Moreno é intérprete, compositora e vencedora do Prêmio Profissionais da Música em 2017 e 2018 na categoria ‘Cantora’. Natural de São Bernardo do Campo em São Paulo, iniciou seus estudos musicais aos 15 anos por intermédio do violão. A partir de então, vem construindo uma considerável trajetória como intérprete e compositora, com uma carreira já repleta de experiências em diferentes vertentes musicais, sendo reconhecida atualmente como um dos talentos da nova música brasileira.

O duo, que teve a primeira gravação oficial em 2019, se conheceu por meio desse convidado especial. Guegué Medeiros, percussionista e compositor, apresentou Salomão e Vanessa há quase 10 anos e a partir de então muitos encontros musicais aconteceram, em formações diversas. Nesse show, Salomão e Vanessa convidam Guegué Medeiros para um mergulho em canções do CD ‘Chão de Flutuar’, músicas do novo disco que será lançado ainda este ano e também repertório que faz parte das trajetórias de cada um, tendo como ponto de intersecção o desenvolvimento rítmico e a liberdade criativa.

Atrações internacionais

Otmaro Ruiz Quartet

Uma das atrações internacionais no Festival de Jazz do Capão é o Otmaro Ruiz Quartet. Venezuelano radicado em Los Angeles há trinta anos, Otmaro Ruiz foi indicado em várias categorias no Grammy Award como pianista, compositor e arranjador (John McLaughlin, Dianne Reeves, Gino Vannelli, Elemental, Catina DeLuna & Lado B). No quarteto, junta-se a alguns de seus músicos favoritos e executa seleções das suas gravações aclamadas pela crítica.

Além do próprio Otmaro ao piano, o quarteto é formado por Sezin Ahmet Turkmenoglu (baixo acústico), Larry Koonse (guitarra) e Jimmy Branly (bateria), todos eles músicos que vem atuando com grandes nomes da cena Jazzística estadunidense.

Wanja Slavin – Lotus Eaters

Wanja Slavin (BMW World Jazz Award, Echo Jazz Award), considerado um dos melhores saxofonistas na Alemanha na atualidade, apresenta nesta edição do Festival de Jazz do Capão, através de uma parceria com o Consulado Geral da Alemanha para o Nordeste (@AlemanhanoBrasil), o seu novo álbum “Salvation”.

As sete peças autorais que formam o álbum evocam um sentimento orquestral ao trazerem cores tonais ricas e arranjos sofisticados. Neste novo álbum de Slavin e o segundo com a banda Lotus Eaters, considerada pelo músico sua banda mais importante, ele apresenta um trabalho meticuloso no que se refere às composições e arranjos. Como um gastrônomo, procura os músicos que melhor se harmonizam às suas intenções. A música em “Salvation” não pretende se impor nem sobrecarregar o ouvinte. Desenvolve o seu poder radiante de forma reflexiva, com disciplina e sem clichês. Conhecido pelo seu jogo livre em diversas constelações vanguardistas, aqui Wanja compromete-se com a forma melódica da canção.

Workshops

Desde sua primeira edição, o FJC realiza workshops musicais que possibilitam uma aproximação entre os músicos que tocam no Festival e o público interessado em música ou no processo criativo desses artistas. É sempre um momento muito rico de troca e interação.

Nesta 9 ª edição teremos quatro workshops, que serão transmitidos ao vivo pelo Canal do YouTube do FJC, com músicos que estão na programação do Festival como: Ivan Sacerdote & Felipe Guedes; Marcelo Galter (Composições do disco Bacia do Cobre); Salomão Soares & Vanessa Moreno (A Liberdade no Piano e Voz) e Léa Freire (Percepção, Improvisação, Composição).

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL DE JAZZ DO CAPÃO 2021

12/11/2021 – A partir das 20h
– Ivan Sacerdote & Felipe Guedes
– Otmaro Ruiz (Venezuela/EUA)
– Mostra Capão – Isa Cardona, Luciano Menderete, Leonardo Frodo e Ça??l Çokan Quarteto

13/11/2021 – A partir das 20h

– Marcelo Galter e Grupo
– Quartinas – Léa Freire, Tatiana Parra, Tarita de Souza e Thaís Nicodemo
– Mostra UFBA – Angela Velloso Quarteto

14/11/2021 – A partir das 20h

– Wanja Slavin – Lotus Eaters (Alemanha)
– Salomão Soares & Vanessa Moreno convidam Guegué Medeiros

Local:Canal do Festival no YouTube

Cronograma dos Workshops – Festival de Jazz do Capão:

09/11 (terça)
14h às 16h – Ivan Sacerdote & Felipe Guedes – “Oficina de Prática de conjunto, improvisação e ritmos brasileiros com Ivan Sacerdote e Felipe Guedes”
16h30 às 18h30 – Léa Freire – Percepção, Improvisação, Composição

10/11 (quarta)
14h às 16h – Salomão Soares & Vanessa Moreno – A Liberdade no Piano e Voz
16h30 às 18h30 – Marcelo Galter – Composições do disco Bacia do Cobre

Informações:

Site –www.festivaldejazzdocapao.com.br
YouTube –https://www.youtube.com/user/FestJazzCapao
Instagram –www.instagram.com/festjazzcapao
Facebook –www.facebook.com/FestivJazzCapao
Twitter –https://twitter.com/festjazzcapao1

Ele1 - Criar site de notícias