Sexta, 21 de Janeiro de 2022
Brasil Rio Grande do Norte

Artista plástico visita governadora e doa tela ao Estado

Radicado nos Estados Unidos há quase duas décadas, curraisnovense elogia valorização da cultura pelo do Governo do RN.

13/01/2022 às 09h38 Atualizada em 13/01/2022 às 09h40
Por: Redação Fonte: Secom Rio Grande do Norte
Compartilhe:

A governadora Fátima Bezerra recebeu na tarde desta quarta-feira (12) a visita de cortesia do artista plástico Rasmussen Sá Ximenes, "Mocó", natural de Currais Novos, radicado nos Estados Unidos há quase 20 anos, e que aproveitou a visita para fazer a doação de uma tela em homenagem a André de Albuquerque Maranhão, o Andrezinho de Cunhaú, que ficou conhecido como o "Mártir da República". Líder da revolução de 1817 no Rio Grande do Norte contra o Império, ele foi ferido e levado para uma cela no Forte dos Reis Magos, onde morreu.

“É uma honra receber o curraisnovense Mocó e, desde já, agradecer pelo belo presente que vai embelezar nossa pinacoteca. Estamos nessa travessia, cada vez mais motivados pela valorização da cultura do Rio Grande do Norte. Estamos recuperando os equipamentos culturais que são parte importante da nossa história. O Complexo Museu da Rampa, por exemplo, é um projeto encantador. Estamos contando os dias para abertura das portas desse museu para o Rio Grande do Norte, o Brasil e o mundo”, informou a govenadora.

Acompanhada do vice-governador Antenor Roberto e do presidente da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto, Fátima explicou que a restauração dos equipamentos culturais em Natal está vinculada a outras iniciativas na área, como a recuperação das casas de cultura no interior do Rio Grande do Norte. São 15 casas de cultura e o processo para início das obras de recuperação já está em curso.

"Achei o momento propício, pela atenção que a senhora está dando às artes. Essa pintura ganha importância pelo fato de a governadora estar reabrindo o Forte dos Reis Magos e a Pinacoteca. As pessoas que conhecem meu trabalho sabem que existe uma linha que traça minhas origens do Rio Grande do Norte, que é uma fonte de inspiração para mim. Contem com meu apoio e entusiasmo", disse Rasmussem. Pintada em 2020, a tela ficará exposta na Pinacoteca do Estado, segundo informou Crispiniano Neto.  O apelido Mocó é uma referência à variedade de algodão cultivado na região até o início dos anos 1980.

Também participaram da audiência, Fábio Henrique e João Natal, ambos da Fundação José Augusto, e o jornalista e escritor Emanuel Neri.

Ele1 - Criar site de notícias